Amara quartet, a Subtileza no Fado

a Elegância e a Força Feminina

Amara quartet é a expressão feminina da tradição do fado e destaca-se pela sua elegância, força e beleza. O propósito da sua música é dar continuidade à tradição numa perspetiva contemporânea.


A sua música combina a herança do vasto mundo do fado tradicional com elementos subtis da música clássica, contemporânea e do riquíssimo folclore português, apresentando composições originais, arranjos singulares e uma sonoridade única. Cada elemento de Amara tem, além da sua paixão pelo fado, formação e experiência musical nestes diferentes estilos.


Amara é o pretérito mais que perfeito do verbo amar, o primeiro amor. O Fado foi a paixão que cruzou os caminhos destas quatro mulheres. Desde o século XIX, o Fado é uma das formas de expressão da voz e da identidade do povo português. O Fado transmite as alegrias e tristezas da alma portuguesa.

Amara quartet foi fundado em julho de 2020 na cidade do Porto, por Joana Almeida e é o primeiro quarteto feminino de Fado na história de Portugal.

Ana Ferreira - voz

Sónia Sobral – acordeão

Joana Almeida – guitarra clássica

Susana Castro Santos – violoncelo

O Segredo de Amara está na

química criativa entre os seus quatro elementos

_MG_6147_logo.jpg

Em 2021 o grupo atuou em diferentes salas de concerto e festivais nacionais e internacionais. Em 2022 apresenta a nova formação do quarteto que integra a sublime sonoridade do Acordeão e composições originais, afirmando a sua identidade musical.

Amara 

Amara, meu coração, frio algoz

Alma do Sol que pousa em outras terras

Trouxe lágrima solta em minha face

Vontade de pôr fim a triste enlace

 

Amara alegre vida, alegre sonho

Alegre som soado em minha mente

Amara o fado e findei sem demora

Fechada dor, vivências d’outrora

 

Amara a arte do ser feminino

Política dos “perfeitos costumes”

Que a graça da coragem m’encantara

Fadado nascimento de Amara

Joana Almeida

Ana Ferreira Voz

Nascida em 1981, Braga. Começou os estudos na música clássica com 6 anos, aprendendo piano e canto. Licenciada em Canto na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto. Até 2013, dedicou-se à performance e ensino na área clássica.

Em 2014, teve a oportunidade de ser música residente em Quevedo Port Wine, atuando como pianista e cantora, onde desenvolveu o seu repertório de fado. Desde então, Ana é uma presença constante nas casas de fado e eventos culturais do Norte, tendo o privilégio de cantar com alguns dos melhores músicos portugueses.

Em 2017, Ana ganhou o primeiro prémio em dois concursos de fado: Viana Canta o Fado e Concurso de Fado Lordelo do Ouro e Massarelos.

Entre outros projetos participou: no grupo Dualogum, um projeto de jazz e bossa nova, com o pianista Paulo Pinto; em 2019 atuou no Festival Internacional de Órgão de Braga, numa original combinação de órgão e fado; em 2020, convidada pelo pianista e maestro Alberto Conde de Léon, cantou em Granada, Espanha, no tributo anual ao poeta Frederíco Garcia Lorca como parte do Atlantic Trio. Regularmente, Ana atua na Alemanha, Luxemburgo, Bélgica, Itália e Suíça.

Ana 2.jpg

Sónia Sobral Acordeão

Sónia.jpg

Nascida em 1993, Viseu. Iniciou o estudo do Acordeão aos sete anos, na Associação de Acordeonistas do Távora e Douro Sul.  É mestre em Ensino de Música, na vertente de Acordeão pela Universidade de Aveiro. Frequentou também a Estonian Academy of Music and Theatre, em Tallinn e o curso Creative World Music do professor Pedro Madaleno.

Ao longo do seu percurso integrou diversos projetos musicais, entre os quais se destacam Reportório Osório e dois,pois (d’Orfeu AC). Fez vários trabalhos em orquestra, com os maestros Carlo Goldstein e Jan Wierzba e integra ainda o espetáculo Pinóquio da Casa da Música.

Sónia é também professora na Associação de Acordeonistas do Távora e Douro Sul, no Conservatório de Música de Seia e na Escola Profissional Serra da Estrela e co-autora do podcast sobre performance musical pontos nos mis.

Conta com mais de uma centena de concertos em diversas salas do país, incluindo Casa da Música e Coliseu do Porto, e em conceituados festivais de música, atuando na Ilha de Santiago (Cabo Verde, 2015 e 2019), no Rio de Janeiro e em várias cidades do Rio Grande do Sul (Brasil, 2016 e 2018), onde integrou também o espetáculo brasileiro Sbornia Kontratacka e mais recentemente, no Mercat de Música Viva de VIC e na Fira Trovam (Espanha, 2020).

Susana Castro Santos Violoncelo

Nascida em 1971, Santa Maria da Feira. Iniciou os estudos musicais com 2 anos de idade na Academia de Música de Santa Maria. Terminou o Curso Complementar de Formação Musical e o 5º grau de violoncelo. Continuou o estudo de violoncelo com diferentes professores e frequentou vários cursos de aperfeiçoamento musical e masterclasses.

 

Na Universidade de Évora, integrou o coro como 1° soprano. Iniciou no Fado em 2000, num concerto com Mário Pacheco. Ao longo da sua carreira, Susana desenvolveu outras funções como: rabelista, cantora, compositora, professora, atriz e diretora musical.

Durante o seu percurso, acompanhou diferentes fadistas como: Teresa Tarouca, Carlos Zel, Hélder Moutinho e Carminho.

Susana.jpg

Foi convidada para atuar e gravar com vários artistas, como Cuca Moana, Manuel Gaspar, grupo Fado Trio, Pedro Barroso, Nuno Barroso, José Cid, entre muitos outros. Em concertos de fado, apresenta-se também em dueto, com violoncelo e voz. Integrou projetos com diferentes estilos musicais, como: Histórias de Paixão (poesia musicada), Modas À Margem do Tempo (música tradicional alentejana), Alma Plana (música ligeira portuguesa), Trinadus (fado), The Vein (música rock), Projecto Fuga 01, Alma – Over the Love Project (música Soul, R&B, Deep Soul, etc), Romã (quarteto de cordas clássico), entre outros. Gravou inúmeros cd’s, videoclipes, participou em programas de televisão, rádio e peças de teatro e compôs músicas para vários cantores.

Na sua carreira, destacam-se concertos em múltiplas salas emblemáticas de Portugal, tais como: Coliseu do Porto e Coliseu de Lisboa, Teatro Sá da Bandeira, Teatro Rivoli, Teatro Tivoli BBVA, Theatro Circo, Teatro S. Luís, etc. Para além de Portugal, atuou em outros países como: Rússia, Brasil, Canadá, Espanha, Bósnia e Herzegovina, França e Polónia.

Guitarra Clássica

Joana Almeida

Joana Almeida Guitarra Clássica

Joana 2.jpg

Nascida em 1993, Vila do Conde. É a responsável pela direção artística do projeto. É uma das primeiras mulheres a afirmar-se profissionalmente como executante de guitarra clássica no acompanhamento de fado, “viola de fado”. Iniciou o estudo deste instrumento aos 11 anos e lentamente foi incluída no panorama profissional do fado. Em 2015, iniciou o curso de Jazz na Academia Valentim de Carvalho, o qual frequentou por 4 anos. Paralelamente, acompanhou o seu estudo com diferentes professores particulares. Para além do Fado de Lisboa, Joana tem explorado diferentes géneros musicais como: fado de Coimbra, música ligeira portuguesa, bossa nova, jazz e konnakol.

Em 2019, após se tornar música constante no cenário do Fado no Porto, foi convidada para integrar o elenco da mais antiga casa de fado desta cidade, a Casa da Mariquinhas.

Em 2020, desenvolvendo o seu trabalho como interprete, compositora e diretora artística, Joana inicia o seu primeiro projeto de originais em português Cacha Mundinho, com Maripepa Contreras (Espanha) no oboé, Sjahin During (Turquia e Holanda) na percussão e Felix Hildbrand (Alemanha) no contrabaixo, no mesmo ano funda Amara Quartet, o primeiro quarteto feminino de Fado e em 2022 inicia Miras Trio, um trio de Fado sediado em Amesterdão, com Sofia Pedro (Portugal) na voz e Juan Sebastian (Colômbia) na harpa.

No seu percurso Joana atuou em diferentes salas de concerto nacionais e internacionais, entre elas: Teatro Baltazar Dias, Madeira (Portugal); Teatro Municipal Sá de Miranda, Viana do Castelo (Portugal); Zorrilla Theater, Valladolid (Espanha); Tivoli Vredenburg, Utrecht (Holanda).  Joana também atuou em diferentes festivais como: Sharq Taronalari Festival de Música Folk (Samarcanda, Uzbequistão, 2019), Festival Ethnos (Itália, 2021), Festival Pas (Holanda, 2021), Festival Hidden Kingdom World Music (Bhutan, 2021), Festival OuTonalidades (Portugal, 2022), World Music Forum, Tivoli Vredenburg, Utrecht (Netherlands, 2022).